terça-feira, março 24, 2009

Jardim Escola João de Deus - img da web
Passeando pela Memória II
Nunca me lembro de não ter irmãos e de não andar na escola.
Mal a minha irmã nasceu, comecei a escolinha. não me lembro do meu primeiro dia de aulas mas dizem que não chorei.
Todas as manhãs era a mesma rotina: chegava ao Jardim Escola e ia direita ao cacifo; trocava a minha roupa pelo bibe aos quadradinhos cor de rosa e os sapatos por umas alpergatas com sola de corda, muito confortaveis. Depois ia para o salão e eu e os coleguinhas fazíamos uma forma, cada menina de mão dada a um menino, nessa altura ainda não havia a discriminação que fui encontrando no meu percurso de estudante.
Quando todos os grupinhos estava formados, cantávamos o Hino Nacional e o do colégio, só a seguir nos dirigíamos para as mesas octogonais que estavam espalhadas na zona direita do salão.
Dentro da rotina da escola a hora do recreio era a mais apetecida: canções de roda, jogos de apanhada,... e é neste etc que se enquadrava o tempo de vaguear livremente pelo pátio e a minha memória recorda um incidente que de delicioso passou a pânico.
Descobrimos nos canteiros de flores centenas de bichinhos de conta. De gatas, íamos apanhando-os e guardando aquelas esferinhas negras nas algibeiras do bibe. Acabado o intervalo e já na forma, eu ia metendo a mão nos bolsos , orgulhosa de tanto tesouro.
A aulinha começou e todos nós nos concentrávamos no tapete que fazíamos; fitas de papel coloridas que tinham que ser entrelaçadas com mestria. Foi nessa altura de mais calma que os bichinhos de conta resolveram desenrolar e sair das algibeiras. A fuga foi notada pela nossa educadora e as auxiliares que nos ajudavam. De repente, gritos. levantaram-me da cadeirinha e despiram-me o bibe atirando-o para longe.
O pânico instalou-se. De todas as mesas se ouviam gritos e choros, nem a voz elevada da Directora pedindo silêncio, nos conseguia acalmar.
Por fim o choro soluçado deu lugar a uma calma aparente e a um gravar permanente deste incidente , na minha memória.
Nunca mais me aproximei dos canteiros.
Foi um dos dias mais traumáticos da minha primeira infância. Com ele surgiu o meu medo irracional de insectos e um ensinamento que apliquei durante toda a minha carreira como docente: manter e transmitir a calma.

4 comentários:

Maria disse...

Não imaginas as memórias que este post (a fotografia) me trouxe...

Um beijo

Boo disse...

:)

GatosMania disse...

Olá

Gostei dos teu blogs...
Sobretudo deste!

Este post fez-me recordar o meu curso de educadora na minha Escola João de Deus.

Agora falta por mais "coisa" tais como o relogio, lista de blogs, seguidores, imagens ...

Beijinhos

Anónimo disse...

Ahhh Eu andei nessa escolinha há muiiiiiiiiiiiitos anos! Chorava tanto... consolava-me a minha irmã e acabávamos as duas a chorar! Recordo-me de achar um mimo os mini-sabonetes e as mini-sanitas lol!